Top

COMO A MICROFISIOTERAPIA AGE NOS PICOS DE CRESCIMENTO E FASES DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL

COMO A MICROFISIOTERAPIA AGE NOS PICOS DE CRESCIMENTO E FASES DE DESENVOLVIMENTO INFANTIL

Os bebês se desenvolvem de maneira rápida, tanto durante a gestação, quanto ao nascerem. Há ainda uma fase chamada exterogestação, que são os 3 primeiros meses de vida do bebê, em que ele e a mãe estão totalmente ligados, como se ainda estivesse na útero materno, como se não tivesse nascido. Nessa fase ele não reconhece o mundo externo totalmente, o que o faz com que sinta necessidade de contato constante com a mãe.

Este fato, faz parte do desenvolvimento do bebê, e ele começa a conhecer novas habilidades e descobrir situações externas, iniciando as fases de desenvolvimento e os picos de crescimento.

Todas as mudanças ocorridas, principalmente no primeiro ano de vida, podem provocar alterações no seu sono do bebê, mas que interfere diretamente no sono e incertezas da mãe.

O primeiro ano da criança é uma fase de mudanças constantes para toda a família. Enquanto os bebês aprendem novas habilidades e estão tentando se comunicar com o mundo externo, os pais estão procurando entender as necessidades deles e conciliar com a rotina.

Mas afinal o que são os Saltos de desenvolvimento?
São consideradas as fases em que os bebês adquirem novas habilidades funcionais específicas que ocorrem todos os meses (lembrando que cada bebê se desenvolve de maneira única, e o desenvolvimento não tem data específica, pode variar de bebê a bebê). Uns possuem um ritmo de desenvolvimento mais acelerado e outros de calmaria, o que afeta a qualidade do seu sono.

Sabe quando você está pensando em algo? Um projeto? Algum acontecimento está por vir? Uma ansiedade? E isso afeta o seu sono? É exatamente isso que ocorre com os bebês. Ao aprenderem novas habilidades, eles ficam felizes e ansiosos pela descoberta, querendo repeti-la inclusive enquanto dormem, ou seja, não irão dormir. Por isso há uma grande variação na rotina de sono do bebê. E quando a família está se acostumando com horários e rotinas do sono do bebê, ele sem aviso, muda o tempo e a qualidade do sono, e a necessidade de estar o tempo todo no colo. Eles não sabem de maneira lógica lidar com o novo aprendizado, com a maturidade neurológica, e as mudanças em seu seus sistemas perceptivo e cognitivo, e dessa maneira desejam voltar para sua base, ou melhor para a mamãe! Além das alterações na forma de se comunicar, humor e de apetite. E os pais nesse momento? Se sentem perdidos.

Paciência, amor e respeito aos bebês e entre todos da família. Por isso, sem perceber, dizem que o mais dificil é a adaptação do primeiro ano de vida do bebê com a rotina na família, mas na verdade são as adaptações das fases de desenvolvimento e picos de crescimento com a família. Quando há uma consciência de que isso irá ocorrer, as dificuldades diminuem.
É o mesmo que você se preparar para uma prova, uma entrevista, por exemplo, há a ansiedade, uma dúvida de como será, mas tem certeza de que vai passar.

Essas habilidades podem ser grandes, como sentar andar, ou mesmo sorrir e segurar um objeto. Após esse salto no desenvolvimento, ele entende sua nova habilidade, pois já se torna uma rotina, e se sente mais seguro e feliz. Ele percebe e sente que pode estar definitivamente se separando do corpo da mãe, que tem seu próprio corpo, sua vida.
Quanto mais o tempo avança novas e diferentes habilidade vão se desenvolvendo, como movimentos finos, aprendizagem em comunicação não verbal, entendimento aos sentimentos, raciocínio, e a angústia de separação, que ocorre por volta dos 6-8 meses (tema abordado posteriormente).

Na fase de 8 semanas, as interações são constantes, e junto delas o bebê precisa muito da mãe, ou seja, irá mamar mais vezes, e essa é a importância da livre demanda, não somente alimentar, mas aconchegar e dar carinho ao bebê.

Ao quarto mês, um dos saltos de de desenvolvimento mais longos e que mais afetam o sono, por aprenderem um n´mero maior de habilidades motoras e sensoriais, inclusive reconhecer seu próprio nome.

E o que são os picos de crescimento?
É o crescimento do bebê em si.
nos picos de crescimento, como qualquer indivíduo, ele precisa se alimentar mais, ou seja, aumentam as mamadas, inclusive noturnas (não retirar a amamentação do bebê noturnas até pelo menos 1 ano e meio). Não confundir necessidade fisiológica do bebê com quantidade e qualidade do leite. não é porque o bebê aumenta a frequência na mamada que o leite é fraco ou insuficiente.

São os principais períodos de crescimento: 7-10 dias, 2-3 semanas, 4-6 semanas, 3 meses, 4 meses, 6 meses e 9 meses

E a Microfisioterapia? Como atua nessa fase?

Todas essas novas habilidades e desenvolvimentos, geram estresse e ansiedade, como em qualquer pessoa. Mas os bebês não sabem lidar com essas emoções. E nem os pais entendem perfeitamente essas adaptações. o que gera aletrações celulares e cicatrizes patológicas, que podem afetar posteriormente na auto estima, confiança e na qualidade de convivência entre pais e filhos.
Quando um pai ou mãe diz, não sei o que houve com minha ligação com meu filho/a? Pode ter sido em algum momento da fase de crescimento e pico de desenvolvimento que não houve entendimento de ambos do que ocorria, e nem apoio emocional.
A microfisioterapia atua em cada pico de desenvolvimento, estimulando a auto cura dessas células desse bebê para cada nova fase vivida e não compreendida, deixando o sono com qualidade e restauradora. Para as mães, da mesma maneira para eliminar os fantasmas da maternidade, como angústias, ansiedades, diminuição do sono, aceitação da sua nova vida.
E também posteriormente para correção dos maus entendidos ocorridos na primeira fase. Se não conhecia a Microfisioterapia, ou mesmo fases de crescimento e picos de desenvolvimento, não se culpe. Você ainda pode corrigir as reações que tiveram naquela fase, seja na criança, ou mesmo nos pais.

Ainda dúvidas sobre o assunto? Nos envie um email, contato@institutorodrigoribeiro.com.br e ajudaremos.

No Comments

Post a Comment