Top

Diminua Em Mais De 80% A Queda Nos Idosos. Saiba Como.

csm_queda-idosos_35e820d3ba

Diminua Em Mais De 80% A Queda Nos Idosos. Saiba Como.

csm_queda-idosos_35e820d3baHá grande preocupação com a terceira idade, o risco de quedas. Elas geram grande impacto social, em todos os países onde o envelhecimento da população ocorre de forma expressiva.

Em uma pessoa sem patologias neurológicas, a queda ocorre pela perda de equilíbrio, e limitações osteoarticulares decorrentes da idade, por não terem sido prevenidas em idade adulta. A saúde dos idosos deve ser sempre supervisionada, pois a queda, ou um pequeno tropeço pode ser o indicador de que o organismo está em sofrimento.

A queda é o mais sério e frequente acidente doméstico que ocorre com os idosos e a principal etiologia de morte acidental em pessoas acima de 65 anos. A prevenção da queda é de importância primordial na vida do idoso e na vida das pessoas que cuidam dele.

Estudos apontam que 30% a 60% da população que não faziam prevenção com mais de 65 anos cai anualmente e metade apresenta quedas múltiplas. Essa % diminui para 15% em indivíduos que fazem a prevenção.

Dessas quedas, de 30% a 50% apresentam menor gravidade, 5% a 6% são mais graves (não incluindo fraturas) e 5% de fraturas (vértebras, fêmur, úmero, rádio distal e costelas).

Um estudo nacional evidenciou a seguinte incidência bruta de fraturas do fêmur em pessoas com 70 anos ou mais: mulheres – 90,2/10.000 e homens – 25,4/10.000.

À partir da primeira queda o risco de quedas subsequentes aumentam entre 60% e 70% em casos de não prevenção. Alguns problemas relacionados a queda e não prevenção, são a redução da mobilidade, medo de andar, da independência, depressão, isolamento social e aumento do risco de morte, pela queda ou por complicações adquiridas na hospitalização, como pneumonia, infarto do miocárdio e tromboembolismo pulmonar.

Sem qualquer tipo de dúvida, a prevenção ainda é o melhor tratamento para quedas. Não espere duas, três quedas, ou ainda piores consequências para procurar por ajuda.

O tratamento assim como a prevenção necessita de um programa de exercícios físicos que melhore a força muscular e o equilíbrio, orientado de forma individualizada por profissional capacitado, avaliando a necessidade e individualidade de cada um.

Os fatores externos às quedas também necessitam de observação e possíveis adequações ao dia a dia de um idoso, como iluminação, tipos de superfícies, objetos como tapetes, degraus altos ou estreitos, obstáculos no caminho, prateleiras excessivamente baixas ou elevadas, roupas e sapatos inadequados.

Quando procurar ajuda:

  • Paciente idoso apresenta preocupação ou está assustado pela queda;
  • Uma ou mais quedas no ano anterior;
  • Uma ou mais quedas com lesão;
  • Repetidas dificuldades e falta de equilíbrio ao caminhar.
  • Dificuldades em levantar o pé do chão, calçar sapatos e vestir-se sozinhos.

Agende uma consulta com o fisioterapeuta que fará uma avaliação biomecânica no paciente, e direcionar de forma individualizada cada atividade necessária para reequilíbrio do organismo, fortalecimento adequado e ganho de massa muscular e óssea, permitindo que o paciente possa realizar suas atividades de forma segura, sem riscos de quedas e lesões subsequentes.

Orientamos sempre a procura pelo fortalecimento terapêutico, modalidade ainda nova na área de reabilitação, que visa o reequilíbrio osteoarticular e muscular do organismo de forma natural, em um ambiente seguro e acompanhado 100% do tempo com fisioterapeuta, em que estará em constante avaliação dos exercícios e se preciso reajustá-los de forma imediata para cada caso, afim de conquistar resultados precisos. Existem estudos que indicam que essa atividade é melhor que a hidroginástica. Para saber mais, acompanhe nosso outro artigo sobre o tema.

Importante o compartilhamento dessa informação com familiares e amigos, pois com o crescimento da população idosa, esses fatores são comuns ao dia a dia. Ajude a prevenir quedas e faça parte dessa estimativa.

 

 

 

No Comments

Post a Comment